Cinco regras de ouro na pescaria de traíras

0
24
Site do Café

Cinco regras de ouro na pescaria de traíras

Separamos dicas básicas para que você tenha o máximo de capturas

As cinco regras de ouro na pescaria de traíras:

1 – Vá de mansinho: se estiver pescando desembarcado, não chegue fazendo barulho ou “pisando” forte na margem. Traíras são desconfiadas e se você se aproximar bruscamente, pode espantá-la.

2 – Anzol ou garateias afiados: lembre-se que a traíra possui uma boca bastante dura. E que exige um elemento bem pontiagudo para ser perfurada. Vale muito à pena afiar as extremidades para ter mais garantia na fisgada.

3 – Escolha o melhor horário: traíras costumam ficar mais inativas no horário de sol forte. Por isso, opte pelas primeiras horas da manhã ou no final da tarde. Estes são períodos quando elas estão à espreita de uma presa.

4 – Acerte a isca: em dias mais frios e com água gelada, aposte em iscas de profundidade e em iscas vivas/naturais. Já nos dias quentes e com água mais quente, uma boa opção é tentar atraí-la para a superfície. Ou até mesmo na meia-água, com recolhimento alternado. Observe o comportamento do peixe para definir o que vai ser mais produtivo.

5 – Use líder: traíras possuem dentes bem afiados capazes de cortar com facilidade as linhas de multifilamento ou de nylon. Caso não goste de aço flexível, uma alternativa é o emprego de fluorcarbono de espessura mais grossa (a partir de 50 lb, 0,65 mm), que além de ser invisível n’água, não vai afetar o trabalho da isca, desde que o nó com a linha principal seja bem feito.

Deixe uma resposta