As raças

0
3
Site do Café

Raça, em zootecnia, é o conjunto de indivíduos com as mesmas características e que, quando acasalados entre si, as transmitem a seus descendentes. Portanto, o que caracteriza as raças são os seus fatores fixos e hereditários, isto é, que os indivíduos receberam de seus ascendentes (pais, avós) e que transmitem a seus descendentes (filhos e netos).

As raças atuais foram obtidas por mutação, seleção e métodos de reprodução indicados em cada caso, para fixar ou melhorar as características desejadas. Além disso, as raças são um produto do meio, do ambiente, ginástica funcional e alimentação, ou o resultado de uma seleção natural ou artificial.

De um modo geral, não aconselhamos criadores a tentarem “fazer” novas raças, deixando esta demorada, dispendiosa e difícil tarefa para grandes instituições ou até mesmo Governos.

Classificação

As raças podem ser naturais ou artificiais. As naturais são mais resistentes, mais rústicas, não são em geral melhoradas e foram formadas sem a intervenção do homem.

Já as raças artificiais, foram obtidas pelo homem que orientou sua formação dentro de critérios pré-estabelecidos, mas sempre com o objetivo de obter as produções de acordo com as suas necessidades, conveniências ou desejos. O resultado prático, foram os aumentos de tamanho, forma, peso, produções diversas, maior poder de assimilação (conversão), maior precocidade, melhor ganho de peso, etc., conforme as espécies, raças e animais utilizados.

Raças melhoradas ou aperfeiçoadas, são aquelas nas quais as funções zootécnicas ou de produção atingem um elevado padrão de rendimento ou alta produtividade.

Quanto à comercialização, as raças podem ser divididas em:

– Esportivas: cujas características desejadas, nem sempre têm valor econômico ou lucrativo. São raças criadas por esporte, diversão ou divertimento e o criador não tem como objetivo fins lucrativos.

– Econômicas, comerciais, industriais: são as raças nas quais as características de reprodução são de grande importância, pois delas dependem os lucros do criador, objetivo da criação.

As raças podem ser obtidas:

– Por mutações, que podem ser fixadas por consangüinidade. Como exemplos, temos a raça bovina jersey, o cão buldogue, os coelhos rex, etc.

– Por cruzamentos de raças previamente selecionadas por especializações, para provocar o aparecimento ou a fixação de características desejadas.

– Por casualidade, por acasalamentos empíricos, realizados muitas vezes, inconscientemente, por leigos.

– Por seleção, para melhorar e fixar características já existentes como, por exemplo, nas raças naturais que vêm sendo melhoradas através de uma seleção metódica e constante.

Como o que interessa são os resultados, em geral traduzidos por lucros, o criador não deve ficar fazendo experiências, que podem sair muito caras. O melhor e mais barato é aproveitar a experiência dos outros. Assim sendo, deve escolher para criar raças aperfeiçoadas ou os tipos já aprovados.

Adubo para Grama

Deixe uma resposta