RS: cooperativa Cotripal diz que chuvas devem dar bom potencial produtivo para a soja

0
2
Site do Café

Segundo a cooperativa, as lavouras se dividem entre as fases de desenvolvimento vegetativo (70%) e de floração (30%)

As chuvas que atingiram a soja da região de atuação da Cotripal, no Rio Grande do Sul, favoreceram uma recuperação das lavouras. A área é projetada em 180 mil hectares. A cooperativa atua em Panambi mais nove municípios no norte estado.

O engenheiro agrônomo da Cotripal, Dênio Oerlecke, disse que o clima contribui para um bom potencial produtivo. “Se seguir assim, o rendimento deve chegar a 60 sacas por hectare. A colheita deve começar por volta de 20 de março.”

Segundo a cooperativa, as lavouras se dividem entre as fases de desenvolvimento vegetativo (70%) e de floração (30%).

Emater também está mais otimista

O Rio Grande do Sul concluiu o plantio dos 6 milhões de hectares de soja da safra 2020/2021, afirma a Emater-RS. Segundo a entidade, as chuvas na última semana favoreceram os trabalhos, e muitas áreas estão apresentando melhora das lavouras.

Como em Erechim, que fica no norte do estado. “Em geral, a cultura se desenvolve bem, favorecida pelas precipitações e 85% dos cultivos se encontram em desenvolvimento vegetativo e 15% em floração. Produtores que plantaram no início de dezembro iniciam o primeiro tratamento fúngico”, afirma a entidade.

Mas nem todas as áreas apresentam tanto otimismo. Em Frederico Westphalen, a preocupação predomina, segundo a Emater.

“Nas áreas semeadas no cedo (outubro), a floração e o enchimento de grãos coincidem com esse período de pouca disponibilidade hídrica, o que tem causado preocupação. Já nas semeadas em novembro e dezembro, o desenvolvimento está lento, com porte baixo, mas com bom estande de plantas na maioria das áreas”, diz a Emater.

 

site do café

Deixe uma resposta