Reprodução dos animais

0
9
Site do Café

Em uma criação bem organizada, a utilização do macho deve obedecer à determinadas regras para que o seu aproveitamento seja o maior possível, sem prejudicar sua saúde.

Um reprodutor, em boas condições físicas, dará filhos fortes e resistentes, enquanto que reprodutores fracos produzirão filhos também fracos e doentes. Os dados a seguir darão uma boa orientação de como proceder em cada caso.

Monta livre

Neste caso, o macho e as fêmeas andam sempre juntos e podem se acasalar livremente. O número de fêmeas para cada reprodutor deverá ser de:

– touro 30 a 50;

– cavalo 40 a 70;

– carneiro 20 a 30;

– porco 25 a 50;

– coelho 10 a 15.

Monta dirigida

É quando o macho vive separado das fêmeas e só entra em contato com elas na hora da cobertura, sendo novamente separado. Pode servir a um maior número de fêmeas, como indica a tabela a seguir:

– touro 60 a 90;

– cavalo 70 a 120;

– carneiro 60;

– porco 75;

– coelho 15.

Inseminação artificial

É o processo pelo qual se tira o líquido fecundante do macho e, por meio de aparelhos apropriados, se “enxerta” a fêmea.

Sendo adotada a inseminação artificial, um macho poderá servir a um grande número de fêmeas, muito maior do que na monta livre ou na dirigida.

Confirmando o já citado, basta saber que um único touro, em um só ano, poderá servir a mais de 1.000 vacas.

Adubo para Grama

Deixe uma resposta