Máquinas para beneficiamento do arroz

0
75
Máquinas para beneficiamento do arroz
Site do Café

Máquinas para beneficiamento do arroz

Após toda a operação agrícola de preparação do solo, plantio, cuidados com a plantação e colheita, os produtores de arroz passam a se empenhar na tarefa do beneficiamento do arroz, para que este possa ser comercializado, obtendo-se maiores lucros.

É claro que esta operação não é feita, necessariamente, pelo agricultor. É comum vender-se toda a produção antes do beneficiamento, com um valor agregado reduzido. Isto quer dizer que, se o agricultor tiver condições de investir no beneficiamento da sua produção de arroz, os seus lucros poderão ser maiores.

Chamamos de beneficiamento toda a etapa de preparo e manipulação dos grãos de arroz, para que a produção possa ser vendida diretamente ao público consumidor, que procura sempre um arroz de qualidade, sem impurezas, com aspecto agradável, de acordo com os padrões do mercado.

A operação de beneficiamento, na verdade, compreende algumas operações distintas, que podem ser feitas por máquinas diferentes ou por conjuntos que agreguem algumas etapas, em uma mesma máquina. Entre estas operações, destacamos a pré-limpeza, limpeza, classificação dos grãos, remoção da casca dos grãos e polimento. Através dessas operações, podemos garantir a qualidade, higiene, limpeza e aparência dos grãos, que ficam livres de fungos, bactérias, insetos e resíduos sólidos, além de apresentarem uma aparência brilhante.

O mais importante fato a ser considerado por um agricultor, no que diz respeito à decisão de investir em beneficiamento de sua própria produção, é a viabilidade econômica do investimento. O custo do investimento, mão-de-obra, manutenção, transporte, etc., deve ser coberto (e com lucro), pelo valor que será agregado á sua produção, tornando lucrativo o seu investimento e trabalho.

As máquinas devem ser adquiridas de acordo com o volume de arroz a ser beneficiado. Este volume deve ser calculado por hora de produção, isto é, cada máquina apresenta uma capacidade diferente de beneficiamento de arroz, por hora. Por exemplo, um pequeno produtor poderá utilizar uma máquina que beneficie cerca de 300kg/h, de maneira economicamente viável. Entretanto, se este mesmo produtor adquirir uma máquina com capacidade para 3.000kg/h, o custo do investimento será muito maior, a máquina ficará ociosa e o resultado será o prejuízo.

Há um outro fator a ser considerado, na hora de se decidir pelo investimento em beneficiamento: a possibilidade de se utilizar a mesma máquina para o beneficiamento da produção de outros agricultores da região. Esta estratégia pode gerar uma renda adicional e viabilizar a compra de um determinado equipamento.

Deixe uma resposta