Horta – como plantar Tomates (Solanum lycopersicum)

0
116
Site do Café

O tomateiro (Solanum lycopersicum) foi, por muito tempo, usado pelos europeus apenas para embelezar ambientes. A partir do século XIX, quando passou a ser reconhecido como alimento, o Tomate tornou-se um ingrediente culinário presente nos quatro cantos do mundo.

O Tomate pode ser consumido cru em salada ou acompanhado de queijos. É também usado no preparo de molhos, para rechear tortas e sanduíches ou mesmo como ingrediente de sopas e sucos. Com ele também são feitos, purês e geleias.

Dependendo da variedade, o Tomate apresenta vários tamanhos e formatos, o Tomate é um fruto repleto de sementes, carnoso, suculento e dotado de propriedades benéficas à saúde humana. O vermelho da polpa e da casca é resultado da presença de licopeno, substância antioxidante do grupo dos carotenoides, que combate a ação danosa dos radicais livres, além de prevenir cânceres de próstata, ovário e mama e diminuir o colesterol. O fruto também conta com vitamina C e do complexo B, fósforo e potássio. No entanto, devido à grande abundância de sais de cálcio no fruto, portadores de cálculos renais, reumatismo, artrite devem evitar o consumo em demasia.

Com muitos ramos e caule flexível, a planta adapta-se melhor em local com temperatura amena, sem geadas nem calor demais. Em regiões frias, o plantio é indicado entre os meses de agosto e janeiro e de fevereiro a maio em áreas mais quentes. A maioria das cultivares plantadas atualmente é híbrida.

Vale ressaltar que o tomateiro é muito exigente em nutrientes e tratos culturais. A planta é suscetível a pragas como broca-pequena, traça, ácaros, mosca-branca, tripes, pulgões e burrinho e a doenças do geminivírus, vira-cabeça, murcha de fusarium, murcha bacteriana, mancha bacteriana e talo oco. Contudo, a cultura cresce bem em espaços pequenos e é ótima opção para aumentar a renda da propriedade, com bom valor comercial e demanda certa no mercado.

Diferente do que muitos pensam, o Tomate não é uma hortaliça. É, na verdade, um fruto gerado a partir da fecundação da flor do tomateiro (Lycopersicon esculentum). A santa cruz, cultivada em diversas regiões brasileiras, tem frutos firmes, arredondados e bem vermelhos. O tipo italiano é alongado, tem sabor adocicado e é adequado para fazer molhos. Mais graúdo, o Tomate-caqui tem polpa grossa e um pouco ácida. Já o cereja se diferencia por ser bem pequeno, mas existem os híbridos comerciais “longa vida”, de formato do tipo salada, e cultivares rasteiras, usadas para consumo in natura.

Como plantar Tomate

Se optar por comprar as mudas, certifique-se de que as raízes sejam brancas, que a planta não tenha flor e nem mais de 10 cm de altura. É bom, também, que possua folhas bem verdes, nunca amareladas, e de aspeto jovem e saudável. Os Tomateiros podem ser plantados no jardim ou horta, em cova funda, ou mesmo em vasos. Neste último caso, o vaso precisa ser suficientemente largo para acomodar, de maneira espaçosa, as raízes do tomateiro.

Caso queira produzi-las, inicie o plantio do tomateiro pelo sistema de mudas produzidas em bandejas de isopor. Coloque as sementes, que podem ser compradas em lojas de produtos agropecuários, nas células preenchidas com um substrato comercial. Evite o excesso, porém molhe diariamente as mudas nessa fase inicial.

Mantenha as bandejas em ambiente protegido, para impedir ataque de pragas e insetos transmissores de doenças, como traça-do-tiro, ácaros, mosca branca, tripes, pulgões e burrinho.

As plantas são transplantadas para o local definitivo assim que as mudas atingirem de quatro a cinco folhas, ou de sete a dez centímetros de altura. Sem apertar muito as hastes, amarre varas de bambu ou madeira de dois metros de altura em cada planta.

Para um cultivo de Tomates bem-sucedido, o solo deve ser solto e fértil, preparado com adubo ou estrume antes da plantação. Recomenda-se ainda a aplicação frequente de fertilizantes durante o período de crescimento dos Tomateiros, que necessitam de um espaço com muito sol, mas não calor excessivo, e precisam ser protegidos da força do vento.

1- O Tomate pode ser plantado o ano todo, desde que em regiões onde o clima é ameno. Temperaturas muito baixas, como geadas, ou calor em excesso, prejudicam o desenvolvimento e a produção do tomateiro. Em locais frios, o cultivo deve ser realizado entre os meses de agosto e janeiro. Plante de março a maio em áreas com temperaturas elevadas.

2- O tomateiro se dá bem em locais com condições climáticas variadas, porém com pouca chuva. Pode ser encontrado em regiões de clima tropical de altitude, subtropical e temperado. Mas, a cultura prefere ambientes com temperatura noturna entre 15 e 19 graus e diurna de 19 a 24 graus.

3- Para cultivar o Tomate, o terreno deve ser profundo, solto, permeável, bem drenado, areno-argiloso e com pH entre 5,5 e 6,5.

4- O espaçamento entre plantas pode variar de 50 a 60 centímetros e, entre os sulcos, de um a 1,20 metro.

5- Mantenha o terreno sempre úmido. Irrigue as plantas a cada dois ou três dias. Os Tomateiros precisam de água em abundância, principalmente na zona das raízes, que deve estar sempre úmida.

6- Boa incidência de sol também é recomendado, pois evita o desenvolvimento de plantas finas e quebradiças.

7- A colheita ocorrerá entre 90 a 100 dias após o início do transplante. Como o Tomate continua amadurecendo fora do pé, pode ser colhido ainda não maduros. Para tirar os Tomates sem danificar os caules do tomateiro, segure-os com a mão e apenas gire até que se soltem dos seus ramos.

Quando a planta já tiver quatro ramos com flores, deve-se cortar a parte superior do caule principal para impulsionar o amadurecimento dos frutos. Além disso, deve-se eliminar também todos os pequenos gomos que se formam entre as folhas quando esses apresentarem um comprimento de 2 cm. À medida que o tomateiro vai crescendo e dando frutos, é importante atá-lo a uma estaca apropriada à sua altura, para que ele não vergue com o peso dos Tomates.

Deixe uma resposta