Como plantar tansagem

0
184
Site do Café

Planta que brota da terra com facilidade e possui muitas utilidades, na certa, é um produto que pode contribuir para aumentar a renda do produtor. Com o uso diversificado das folhas, sementes e outras partes, a tansagem (Plantago major L.) tem boa aceitação no mercado consumidor e demanda promissora entre os fabricantes de cosméticos, dadas às propriedades medicinais que contém.

Da tansagem, praticamente aproveita-se tudo. Na forma de cataplasma, as folhas são recomendadas para cicatrização da pele e tratamento de queimaduras, feridas, pústulas e prevenção contra infecções. Na forma de infuso, para aplicação local contra afecções da pele (acnes e espinhas), para ingerir ou fazer gargarejo para proteção das mucosas (garganta, ouvido, intestino) e para desintoxicar as vias respiratórias.
As espigas, que servem de base para as flores, por sua vez, são indicadas para curar enfermidades hepáticas e estomacais. Já as sementes, maceradas e mergulhadas em água, são aproveitadas para aliviar prisão de ventre e desarranjo da flora intestinal.

Ainda dotada de outras várias substâncias benéficas ao organismo humano, rica em cálcio, potássio, mucilagem e tanino, que conferem à planta ação depurativa, diurética, bactericida e anti-inflamatória, a tansagem é considerada uma hortaliça não convencional. Com sabor doce, suave e refrescante no preparo de refogados, recheios de omeletes, bolinhos e pastéis, as folhas também são consumidas por muitas comunidades rurais.

De solos pobres a ricos em matéria orgânica, a tansagem é capaz de crescer em diferentes lugares. Por aqui, se desenvolve em qualquer região, mesmo com as condições climáticas específicas de cada uma delas. Como é uma planta perene, ainda pode ser cultivada o ano inteiro, oferecendo ao agricultor a oportunidade de obter ganhos com a lavra da terra de janeiro a dezembro.

Também chamada de transagem, tançagem, tanchagem, tranchagem, tanchá, plantagem e sete-nervos, a planta milenar é comumente conhecida como o “rei dos caminhos”, por ter se espalhado por todo o mundo, desde sua origem em regiões frias do continente europeu. No entanto, por ser prolífica, é necessário ter atenção para ela não avançar sobre o espaço de outras culturas.

Sem caule e com cerca de 30 centímetros de altura, a tansagem é composta por folhas carnosas e moles com até 15 centímetros de comprimento, que nascem em volta de um eixo ao nível do solo, no qual ficam distendidas formando um tufo circular. Brancas, rosadas ou esverdeadas, as pequenas flores se apoiam em espigas eretas na ponta da haste floral, que varia de 20 a 30 centímetros de comprimento.

MÃOS À OBRA

>>> Início Como não existem sementes de tansagem no mercado, por tratar-se de uma espécie espontânea, não domesticada e muito menos melhorada agronomicamente, consulte produtores de hortaliças e instituições de ensino e pesquisa com plantas medicinais na região. Apesar de ser necessário apenas friccionar a inflorescência da tansagem entre os dedos para retirar as sementes, principalmente no fim do verão, para o primeiro plantio é melhor obter o material de agricultores experientes na atividade. Além de garantir um lote de mudas uniformes, os profissionais também podem dar mais orientações e dicas para um plantio vigoroso.

>>> Ambiente Fácil de se adaptar em diferentes regiões, a tansagem tem capacidade de se multiplicar até espontaneamente, inclusive em jardins, gramados, pomares, beiras de estradas e junto a muros. Contudo, a planta se desenvolve mais intensamente em áreas abertas com solos cultivados ou pastagens sob clima temperado.

>>> Plantio Embora a semente da tansagem desenvolva-se em qualquer tipo de solo, ela prefere os úmidos e férteis. Para regiões de clima temperado, de setembro a dezembro é a época mais favorável para o plantio direto em canteiros. Em regiões quentes, a prática deve ser realizada no inverno e sob irrigação. No caso de produção de mudas em viveiro, pode ser semeada durante todo o ano. Por ser muito pequena, a semente não deve ser enterrada. Coloque-a sobre o solo peneirando um pouco de substrato, para assentá-la na superfície.

>>> Espaçamento Indica-se 30 x30 centímetros. Faça o transplante quando as mudas tiverem de três a quatro folhas definitivas em vasos ou em canteiros preparados com 3 a 5 quilos por metro quadrado de esterco curtido de curral, ou 1,5 a 3 quilos por metro quadrado de torta de mamona aplicados de 15 a 20 dias antes do plantio.

>>> Cuidados Durante o verão ou em dias quentes, a tansagem deve receber regas em dias alternados. No inverno ou em dias com temperaturas baixas, as irrigações devem ser feitas a cada dois dias.

>>> Colheita As folhas são colhidas a partir do terceiro mês após o transplante de mudas, na pré-floração, com cerca de três a quatro cortes anuais. As sementes são colhidas quando as espigas estiverem bem desenvolvidas e começando a ter uma coloração avermelhada para marrom. Após colher as folhas, seque-as em local que ofereça sombra e seja arejado. Sob o sol, a secagem é mais rápida, mas algumas propriedades da planta podem ser consumidas ao longo do processo e a coloração final pode ser prejudicada.

RAIO-X

Solo: prefere úmido e fértil, mas se adapta a qualquer um
Clima: temperado, embora não tenha restrições
Área mínima: plantio pode ser até em vasos
Colheita: das folhas, a partir do terceiro mês após o transplante de mudas, e das sementes, na passagem da cor avermelhada para marrom das espigas desenvolvidas
Custo: pode crescer espontaneamente.

 

Deixe uma resposta